Ideologia de Gênero

Ideologia de Gênero

 

Ao combater a Ideologia de Gênero, algumas pessoas, por não entender direito o que é isso ou mesmo de má-fé, me acusam de homofóbico, de estar contra o homossexualismo. Mais uma vez quero deixar claro e explicar o que é essa Ideologia. Entendam de uma vez por todas: a chamada Ideologia de Gênero não tem nada a ver com homossexualismo. Na verdade, ela afronta de maneira bizarra a biologia, afirmando que a identidade sexual de uma criança não é definida por seu sexo, mas por sua vontade, obra de uma construção cultural ou social. Resumindo: pare de comprar roupinhas azuis ou cor-de-rosa e deixe seu filho escolher o sexo quando tiver cinco anos de idade. Essa é a total revogação das Leis naturais que regem o Universo. Essa prática é oriunda do comunismo/socialismo e foi mais bem estudada e difundida por Antonio Gramsci, que preconizava a “Hegemonia Cultural”, pratica pela qual as classes dominantes deteriam o poder sobre o proletariado através do controle do sistema educacional, das igrejas e dos meios de comunicação, isto é, doutrinação em massa. Dessa forma, a ideia central da implantação do socialismo é acabar com o núcleo familiar. E é isso que a esquerda vem disseminando, através da Ideologia de Gênero, do politicamente correto, dos Direitos Humanos, dos Estatutos da Criança e do Adolescente, da permissividade que tira o poder de pais e professores levando adolescentes a desafiá-los e ameaça-los, da doutrinação esquerdista nas escolas através de alguns professores adestrados de história, geografia, filosofia, sociologia (principalmente), etc. Essa desconstrução da família age insidiosamente, à sorrelfa, se instalando nas mentes de crianças e adultos com medo de ir contra a “corrente”. Essa é a “revolução” sem armas preconizada pelos socialistas. E aqui não vai nenhum preconceito. Essa figura esquisita, de nome Judith Butler, que veio ao Brasil dar “palestras” sobre a Ideologia, querendo “abrir as mentes” das pessoas, nada mais é que uma ferramenta do socialismo, cheia de marketing, para tentar doutrinar as massas. A juventude, carente de informação, é presa fácil desse tipo de gente, que espalha a notícia de que quem está contra a novidade são os velhos, os conservadores, os homofóbicos. Se eu fosse você, antes de cair nessa esparrela iria ler um pouco, me informar. Afinal, ser jovem não é apenas fazer parte de uma manada de búfalos que correm de cabeça baixa para onde um imbecil lá na frente correr primeiro, mesmo que seja para o abismo. Já não chega fazer isso ao seguir a “moda”, usando às vezes roupas de que você não gosta, dançando músicas que você odeia, bebendo coisas que você detesta, tomando drogas que você não quer? Largue de ser um babaca e tenha um pingo de personalidade. Inclusive lendo textões chatos como este, sobre política, que lhe ensinarão, sem arrogância, a ser um pouco melhor e mais útil neste mundo em decadência.

Dama da tarde

Dama da tarde

Percy Castanho Jr.

 

A fome sobeja

A carne fraqueja

A moça graceja

A gente corteja

E embora não seja

Assim benfazeja

A dama maneja

De forma não veja

Quem sói lhe proteja

Se esgueira e enseja

Como dona Beja

A alguém que rasteja

Seu seio cereja

No fundo da igreja;

Que mais ela almeja

Sem nem ficar peja

Senão a beleza

Que nela viceja?

 

28/10/2017

O comunismo e o queijo Minas

O comunismo e o queijo Minas

 

Quando se comemora os cem anos da Revolução Bolchevique na Rússia posso dizer que essa fraude utópica chamada comunismo jamais me atraiu. Fui jovem, rebelde, cabeludo, sonhador, mas não burro. Ok, muita gente inteligente caiu na esparrela. Mas só considero inteligente mesmo quem percebeu com a idade aonde aquilo ia nos levar e mudou sua posição. Os turrões que permanecem defendendo o socialismo, ainda que se digam intelectuais, pra mim são burros, ignorantes ou estão de má fé. Bastava Marx ter refletido um pouquinho sobre o significado de “indivíduo” para perceber que sua teoria era furada. Cada ser é uno, com seus defeitos, suas qualidades, suas contradições, seus interesses, suas prioridades. Ao querer pasteurizar a massa vai acontecer o mesmo que ocorreu com o queijo fresco de Minas: todos ficaram ruins.

 

 

Sobre a morte da turista na Rocinha

Sobre a morte na Rocinha

 

1)      O motorista e a guia turística não deveriam ter ido a uma favela conflagrada. Ponto. São os maiores responsáveis. Aliás, não deveriam fazer passeio em favela nenhuma. Desgraça alheia não é diversão.

2)      Ok, mas o motorista foi. E com vidros super escurecidos, fora da Lei. O carro tinha aparência suspeita, portanto. E o motorista alegou que não viu a blitz. Acontece que o próprio confessou que,  na subida, foi parado pela mesma blitz e teve o carro todo, inclusive o porta-malas, revistado.  Quem passa por uma experiência dessas e dez minutos depois volta pelo mesmo caminho não pode alegar que não viu blitz nenhuma, pois estará mentindo. Ele poderia estar distraído ou louco pra sair dali, mas que viu a blitz, viu.

3)      No vídeo aparecem três policiais correndo A PÉ atrás do carro. Isso prova que estavam parados na rua fazendo blitz. Ou alguém já viu policial sair correndo a pé atrás de um automóvel andando sem qualquer motivo?

4)      Sobre o tiro: houve precipitação? Houve. O policial poderia ter atirado nos pneus, claro, óbvio, como dirão os experts em segurança que estou certo aparecerão aos borbotões. Mas esse policial estava correndo com um fuzil na mão, ofegante, assustado. Não pode ter tropeçado? Deve-se levar tudo em consideração. E, se não é para atirar, mesmo numa zona de guerra declarada, para que dar armas para a polícia? A Corregedoria disse que a ordem é somente perseguir. O que seria isso? Igual ao cachorro atrás do rabo? Até quando? Até acontecer o que? Até o eventual bandido parar o carro, jogar suas armas longe e se algemar sozinho? Ou até o primeiro policial tomar um tiro?

5)      Gostaria de ver essa turma dos direitos humanos, da corregedoria e da diretoria da polícia, que quer tirar o corpo fora indiciando o policial por homicídio doloso, pegar em armas e subir a Rocinha. Isso ninguém quer. Eles gostam é de achar um culpado rapidinho pra aplacar a ira de todos. Julgar é fácil. Quero ver vestir a farda e sair em campo.

6)      E ficar aqui no Facebook julgando os outros também é muito fácil. Quem mais condena é quem menos faz, posso garantir.

 

7)      Esse governo deveria estar ocupado pensando numa forma de erradicar as favelas, levar as famílias para morar mais longe mas em casas dignas, com educação, saúde e transporte de qualidade, e não deixar a polícia ficar enxugando gelo e trocando tiros com traficantes, enquanto roubam descaradamente o Erário. Foi só mais uma tragédia anunciada.

A evolução da persiana

A evolução da persiana

Hoje instalaram uma persiana no meu escritório de casa. Quando cheguei da academia o instalador já havia ido. É uma persiana horizontal, saca? Então, sozinho, com um olhar de aprovação, peguei o controle – não, não é remoto nem de cordinha, é de bolinhas – e movi as aletas, para cima e para baixo. “Aprovado”, sorri orgulhoso. Ai, sem mais nada pra fazer na vida, pensei em fazer um novo teste: suspender a persiana. “Ué, cadê o outro controle? PQP, esta maldita persiana não levanta. BENHÊ, CHAMA O HOMEM DE VOLTA RÁPIDO. DEVOLVE ESTA PORCARIA” “O que foi? Qual o motivo do Piti?”, lá veio Dora pisando devagarinho, sempre amansando a fera enjaulada que existe em mim. “Esta porcaria não levanta, só mexe as aletas (não sei de onde tirei esta palavra, chama aleta mesmo?)” “Calma, levanta sim, está tudo no mesmo controle”, disse a sábia moça que me atura. E nesse exato instante, mais uma vez embasbacado, só que agora calminho como um carneiro após o desjejum, descobri que as persianas atuais conseguem fazer as duas operações básicas com uma só cordinha. Preciso atualizar meus conceitos. Bingo!

PS: vocês sabiam que os inventores da persiana foram meu avô Persi e minha avó? Adivinhem o nome dela…

As mulheres não entendem a gente

As mulheres não entendem a gente

 

Estou com problemas emocionais. Descobri que a moda agora é ter um cão de apoio emocional. Como adquiri semana passada uma intolerância à lactose, ao glúten e a cachorro, contratei a moça de apoio emocional que aparece na foto. Super profissional, disposta a dar o melhor de sí. Dora vetou. As mulheres não entendem a gente…

 

 

ps: sobre as intolerâncias: tomei três bofetes e sarei delas todas. Incrível!