Tocosha Cosheio – A estranha fábrica de Fake News

Tocosha Cosheio – A estranha fábrica de Fake News
De repente, num fim de tarde de sábado, você está com aquele comichão esquisito, uma vontadezinha de zoar que vai subindo pelas pernas até atingir a região equatorial. Então, esperando ouvir apenas risadas, escreve e posta no Facebook algo nonsense como:

“Gato dá a luz cachorro com rabo de cobra que canta como periquito”.

O problema é que, nos estranhos e imbecilizados dias em que vivemos, sempre haverá uma comadre, debruçada nas amplas janelas do Facebook, de onde, com seu olhar esbugalhado, sua mente retorcida e seu dedão engessado, alertará a humanidade:
“Cuidado, essa notícia é falsa. Não acreditem… Fake News é um perigo!”
É mole? Como disse Nelson Rodrigues ou algum outro gênio, cujo nome me escapa como um pum, os imbecís não vencerão pela inteligência, mas pela quantidade…
Se o gênio da lâmpada me aparecer oferecendo dinheiro, vou pedir pra trocar por paciência…
(Percy Castanho Jr. – replicante.com.br)

A matinê desse domingo

A matinê desse domingo

 

Em nossa infinita ingenuidade, sempre imaginamos que os rios correm mansamente em seus leitos graças à gravidade e aos acidentes geográficos, não alterando seu trajeto jamais. A verdade é que, acima de nossas crenças no bem, sempre haverá alguém mal intencionado disposto a mudar o rumo normal das coisas.

Assim, no caso de Lula ontem, mesmo imaginando uma trama, o máximo que ousamos foi pensar que algum esperto petista descobriu que um Desembargador simpático ao PT assumiria o plantão deste fim de semana, etc.

O caso não se deu assim. Pense em algo como: José Dirceu, o Richelieu da república bananeira petista, estando soltinho da silva, fez o que sabe fazer de melhor: conspirar. Então, procurou dentre as dezenas de desembargadores e ministros nomeados e a serviço dele próprio, de Lula e Dilma, algum que lhe devesse favores. Achou o tal do Rogério Favreto, um títere a serviço do PT, apenas esperando que se lhe puxassem as cordas. Sabe quando você quer assaltar uma transportadora de dinheiro e convence um funcionário interno a participar do crime? E cujo papel no assalto é abrir as portas ou o cofre? Pois é. Favreto foi o funcionário da transportadora. O arranjo então foi feito, entre Favreto, que já sabia qual seria o seu papel no plano, e Dirceu, mais os três deputados laranjas, que se encarregaram de assinar o HC. Favreto, o “segurança interno”, apenas ficou ali, no horário combinado, aguardando os assaltantes para abrir o cofre para eles. Só que, como às vezes acontece nos filmes, os mocinhos chegaram antes da fuga, abateram os bandidos  e frustraram o assalto. O problema é que, como personagens de filme de ficção, esses bandidos – Lula e Zé Dirceu à frente – jamais morrem, sempre voltam das trevas para nos assombrar. Então, essa foi só mais uma matinê de domingo,  tensa mas com final feliz. Aguardemos os novos episódios, esperando que nossos heróis os tirem de circulação de uma vez por todas.    

Lula solto? Não, a vergonha é que está à solta

Lula solto? Não, a vergonha é que está à solta

 

Pois é. Parece que não temos mais hierarquia neste País. Parece, não. Não temos mesmo. Nem hierarquia nem vergonha! Quem mandou soltar Lula, à revelia do TRF, do STJ e do STF, não foi o próprio TRF-4. Foi um mero desembargador daquele tribunal, vulgo Rogério Favreto, funcionário público a mando do PT que estava “estratégicamente” de plantão para conceder liminar ao HC, que três deputados petistas impetraram “por coincidência” nesta sexta-feira. O País está de cócoras, para não dizer de quatro… Nós iríamos às ruas se a Seleção ganhasse, não? Que tal ir agora. É por um ótimo motivo: vergonha na cara!!! (Percy Castanho Jr. – replicante.com.br)

Cuidado: As Fake News estão comendo criancinhas no Camboja

Cuidado: As Fake News estão comendo criancinhas no Camboja

 

A esquerda, e, consequentemente, a mídia que puxa essa carroça ideológica, arrumou uma nova bandeira. Na falta de sem-terras, sem-tetos, sem-cotas e sem-sexos, os sem-cérebro ungiram as Fake News como as vilãs desses novos tempos internéticos.  Todo santo dia sai uma reportagem na Globo, no Estadão, na Folha, na Veja, alertando que as Fake News vão acabar com a humanidade. Então pensei: essa mídia hipócrita e aética é a campeã das Fake News faz tempo. Ou você acha que  um jornal ou uma rede de TV que omite notícias reais que favoreçam candidatos que não são de seu agrado é o que? Por acaso manipular manchetes visando enganar o distinto público é mais bonito do que escrever Fake News bem-humoradas? A respeito, semana passada, de posse do resultado de uma pesquisa que apontava as maiores rejeições entre os candidatos a Presidente, o Estadão, ao invés de divulgar os maiores rejeitados, “mancheteou”: “Aumenta a rejeição a Bolsonaro”, esquecendo-se de dizer que a rejeição dele não é a maior entre os candidatos e que o aumento da rejeição foi para quase todos eles. Isso para mim é pior do que Fake News. A recusa em divulgar pesquisas apontando Bolsonaro em primeiro, também é típica de um mau jornalismo, muito pior do que Fake News. As tal fake news, que a esquerda tanto combate, e que são na verdade sua nova bandeira na falta de outra, são uma piada. Eu adoro escrever Fake News no Facebook ou em meu blog há muito tempo, desde que isso não era modinha. E acho que jamais prejudiquei alguém com isso. Fake News – salvo raras exceções de má fé – são facilmente identificáveis e não são motivo para tanto alarde. Mas vi a capa da Veja desta semana e lá aparece um desenho do Pinóquio, tendo em letras garrafais a frase: “As Fake News que matam”. Ah, vão pastar. O que pode matar é a falta de  transparência da imprensa, protegendo seus cupinchas. Isso é tipicamente desespero dos socialistas de Iphone. Liberem um whiskinho doze anos pra eles junto com uma passagem para Paris ou um cargo de assessor de imprensa em Brasília que os barbudinhos esquecem as Fake e ficam mansinhos, mansinhos…